segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Entre

Que as tuas palavras escondam
Entre meus lábios
Que exploda meu desejo
Entre teu corpo
Que realize meus delírios
Entre as tuas fantasias
Que meu orgasmo
Chegue com teu êxtase
Que meu gozo
Me deixe no paraíso
Entre teus órgãos e abraços
Me faça mulher e feliz



Isabel van Gurp
 

Passagem



Na manhã de lua cheia
Vejo anjos levando anjo para o céu
A lua esperou sua passagem para iluminar aurora
Mesmo com o raiar do dia
Com sol acendendo alvorada
Com muita claridade orientava o caminho
Para uma feliz viagem
Com muita luz e energia
Foi assim
Que voou um anjo com um sorriso
Para o além
O céu chorou
Depois da sua passagem
A lua se foi
Despediu-se do dia
O sol se escondeu entre as nuvens
Deixando o dia triste

Isabel van Gurp





Graça Oliveira                   07/10/1956
                                             
                                               11/10/2014


Na sua passagem o sol iluminava o amanhecer
E ainda havia uma lua cheia que irradiava alvorada



De ti

Dordrecht uma cidade histórica  holandesa

Eu tenho saudade de ti
Tenhas saudades de mim
Longe de ti meu coração bate lento
E as vezes acho que ele assopra
Um ruido
Ouça
Se mistura ao vento
Entenda o pedido
Que faz uma musica nostálgica
Para chegar perto de ti
Tocar no teu coração
E implorar para ter saudades de mim
Ouça o recado que vem da brisa
Com vento
Em notas do-ré- mi
Atenda e entenda
Foi meu coração que assobiou
Desafinado
Para te chamar
Para dizer que sem ti
As batidas são cada vez mais fraca
Mais lenta
Ainda tento um redemoinho
Para te abraçar
Em pensamento
Assopro, nós dois abraçados
Para chegar no teu espirito
No piano fá-sol-lá-si
Toco uma canção
Com sopros que leva aos ventos
Quem sabe ainda teu amor
Por mim
Reviva ainda no teu coração
As nossas lembranças
Como eramos felizes ao vento
Em movimento amávamos
E cada passo que vivemos juntos
Em travessia no ar
Voamos de felicidade por amar
Preciso te dizer que estou com saudade de nós
Até mesmo de mim
Que sem ti
Meu coração só assopra tristezas
E lembranças felizes de um passado recente
As notas não são musicais
São poemas
Volta para mim
E ouça a brisa que vem com vento
Para te chamar

Autora: Isabel van Gurp

Fotos de Dordrecht feitas Isabel van Gurp

 Dordrecht é uma cidade holandesa,  foi pela primeira vez mencionada
 em texto do século XII, quando a cidade ainda se chamava
 Thuredrech, e adquiriu estatuto de cidade em 1220. Dordrecht é uma cidade neerlandesa, onde nasceu o cientista e político Johan de Witt. Foi fundada em 1008 e, com sua população de 118.601 habitantes, é a quarta cidade da província neerlandesa da Holanda do Sul.        Fonte:  Wikipédia


















Me chamem de Maria

Maria, meu nome é Maria Entre as estrelas Vivo  o espetáculo da vida e a morte O exemplo da bela De ser mais uma entre todas...