sábado, 19 de março de 2016

Livres!



O braço, alma e do povo brasileiro
Estão nas ruas
Contra o golpe
O sangue que jorra no chão
E vermelho
E a bandeira que ostenta estrela
Tão bela
Tão reluzente que brilha na noite
Nas cores que queima
A busca dos companheiros
Que morreram nos porões da ditadura
Não foram esquecidos jamais
Estão entre nós
O Caminho busca a verdade
O tempo não nega
A certeza que democracia e liberdade
Está entre nós
Será sempre o recomeço
De um pais livre
Igual, digno e soberano
E melhor
A estrela que brilha essa noite
Não é de um homem
E tão pouco de uma mulher
E de um povo
Que luta para ser livre
Essa certeza do direito
Que a democracia
Sempre vencerá
Os arrogantes e ódio
Morreram gritando
Pelo fim
Mas o fim sera a nossa vitoria
De ser homens, mulheres livres
A estrela somos nós
Tão livres de pensamentos
Decidindo a nossa historia.



Não vai ter golpe!!!!!!!!!!!!!






Autora: Isabel van Gurp

quarta-feira, 9 de março de 2016

Saltimbancos



Nesta série de fotos Paris, eu vou colocar as fotos também
do Museu de Louvre
Um dos mais fascinante, é um dos maiores e mais
famosos
museus do mundo
E um dos mais importante da atualidade
E um dos mais visitados.
Primeira parte da minha visita a esse lindo museu.


(É onde se encontra a Mona Lisa, a Vitória de Samotrácia, a Vénus de Milo, enormes coleções de artefatos do Egito antigo, da civilização greco-romana, artes decorativas e aplicadas, e numerosas obras-primas dos grandes artistas da Europa como Ticiano, Rembrandt, Michelangelo,Goya e Rubens, numa das maiores mostras do mundo da arte e cultura humanas. O museu abrange, portanto, oito mil anos da cultura e da civilização tanto do Oriente quanto do Ocidente) fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Museu_do_Louvre




Fotos do museu autora Isabel van Gurp






A fila para entrar no Museu pode ser uma espera que pode chegar mais de cinco horas











Vou correndo sentir esse ar
Do nada eu sei
Ver essas pessoas sem compromissos
Que passam assim
Que ficam apenas
Com saltos que driblam
A espera o que convêm
Adoro ver esse movimento
Do vai e vem
Dos Saltimbancos
Sem a pressa de chegar
E sem hora de partir
E ser ninguém
Entre tantos que são na vida
Alguns fingem que ficam
Outros dizem que vão
E muitos não sabem como sair
Outros desejam sempre estar ali
Ali nas esquinas
Ali nas escadarias
Ali nas pontes
Nas estradas
Ou em frente as padarias
Ali........
Vendo o tempo passar
Sem ser dono de nada
Soberano de um dom
Tem nas mãos o melhor da vida
São livres
E vivendo a cada dia como se fosse ultimo
de um recomeço de uma jornada
Sem propostas e sem promessas
E muitas vezes sem esperanças
Ficam felizes com um sorriso de uma criança
Sinto inveja dos seus olhares
Tão intenso que toca multidões
Alguns dizem que são palhaços
Outros dizem que são mendigos
Mas são mesmo itinerantes
Cantam e encantam
São tantos que interpretam seus próprios personagens
Para ganhar a vida
Ou a vida para ganhar
Muitos pelo um prato de comida
São eles....eles quem?
Os saltimbancos
São ninguém
Que tocam seus instrumentos
E cantam
São alguém
Por uns trocados que ganham
Cada centavo e uma nota
E cada nota é um centavo
Apalpa sentimentos da generosidade
De quem passa
De quem fica a curiosidade
Como somos nobres
Doamos em agradecimento
Pelo espetáculo
Um chapéu nas mãos
Um sorriso nos lábios
Senhor de um cião
Vida desprendida
Pela boleia de um caminhão
São os Saltimbancos
Caminhando assim pelas estradas da vida...
Sendo feliz
Apenas livre
Com seu violão.



Autora: Isabel van Gurp























































































Pela janela essa é a paisagem que se vê...





























A  fila para ver a famosa Mona Lisa



























Chegando finalmente perto da Mona Lisa






















































Do ser

Andando por ai.... Sinto o sal da terra Escorrendo pela minha face A energia do vento A brisa do mar Encontro  cores no preto e branco...