terça-feira, 12 de setembro de 2017

Filha minha


Filha minha

Que brinca de imagem
Da cor do reflexo do meu ventre
Que ilumina minha alma
Enriquece meu espirito
Aprendo todos os dias
Que não és minha
Mas sim uma parte de mim
Que um dia partirás
Seguindo o teu caminho
Que eu espero que sejam feitos
Por doses de amor e carinho

Filha minha

Queria te deixar numa redoma de vidro
Longe das tempestades das vidas
Da incerteza da felicidade
E segura no porto
Isso é impossível aprendi
Porque navegar e preciso

Filha minha

Sinto que cada dia
Partes um pouco
Cada dia um segmento esférico
Andas na própria trilha
No paralelepípedo que tento lapidar
Como pedra de diamante
Para sua passagem

Filha minha

Olho para ti e penso
Que mulher que se tornaste
Queria que ficasse para sempre
Aquela princesa com cetim de laços
Que um dia eu segurei no colo
E amamentei
Ninava com palavras
E dormias como anjo nos meus braços

Filha minha

Eu sei
Que não sou dona do teu destino
Eu sei
Mas tem em mim
A mulher que sempre será tua mãe
Em todos os momentos da tua vida
Terás no meu abraço e  o meu amor
A eternidade de uma paixão infinita
E se precisar dou minha vida por ti
Minha filha
Não pensarei nenhum segundo
Mas, por ora eu sei da tua resposta:
- Não és preciso, mãe
Eu sei me virar sozinha.....



Isabel van Gurp