sexta-feira, 7 de junho de 2013

Passageiros

Passageiros
Cerrei  meus olhos
Abrir minha alma
Escutei o silêncio
Que sussurrava algumas palavras soltas desvirtuadas
Que voavam pelo ar
Enviadas pela brisa
Sentir  o vento que soprava aos meus ouvidos
Tentei ouvir a mim mesma
Ouvir meus passos que passavam pela multidão
Sem ser notados
Ouvir a minha voz
Dentro de mim
Escutei  passageiros que passaram 
Sem deixar marcas
E alguns que fizeram cicatrizes
Mas que ser perderam pelas estradas
Vi imagens de pessoas
Que iam e vinham 
Que chegavam e saiam
Nos meus devaneios
Eram rostos diferentes
Que se misturavam no mesmo olhar
A busca de mim mesma
Em tantos rostos, caras, feições 
Eu deparava nelas 
O meu ser
Me perdia entre elas o meu eu
Que havia perdido em todos os corpos 
Que passavam pelas profusões 
Com meus olhos fechados
Sentia suas almas
Confusas que buscavam algo
Que eu queria arrancar dentro de mim
Eu ali com meus olhos cerrados
Com a minha alma exposta
No silêncio 
Encontrei respostas do meu medo 
Que amei todos 
Menos a mim mesma

  autora: Isabel van Gurp











Bailarina

N'alma flutua Uma menina Que reflete No espelho Uma mulher Na imagem Dança Uma bailarina Que move Os pés Em círculos E deixa ...