sábado, 29 de setembro de 2012

Fingir

Fingir


Fugir de mim
Fingir por ti
Sofri por nós
No meu olhar existe palavras
Que eu não posso te dizer
No meu gesto
Existe expressão
Que eu gostaria  te confessar
Na minha saudade
Existe instantes que  eu não vivi
Histórias que eu não contei
Momentos que não compartilhei
                   Desejos que eu calei
Dentro de mim
No meu coração
Existe um amor
Que eu não posso lhe entregar
Fugir de mim
Fingir por ti
Sofri por nós 
No meu contemplar
Existem lágrimas
Que não foram derramadas
Nos meus lábios
Existe uma frase que não foi dita
Uma historia que não foi contada
Nos meus braços
Existi um calor que eu desentranhei
Na minha alma
existi um gozo
Que eu não dividi
Na minha cama
Um prazer 
Que eu não sussurrei
Fugir de mim
Fingir por ti
Sofri por nós
No meu destino
Houve um caminho
Que foi desviado
Por mim
Na minha vida existe 
 insatisfação  de não ter 
vivido esse olhar
essa palavra
Esse momento
Esse gozo
Esse gesto
Esse amor
enfim
Perdi
Fugir de mim
Fingir por ti
Sofri por nós


  autora: Isabel van Gurp











































terça-feira, 18 de setembro de 2012

Minha Senhora




 Perdoa-me minha senhora
Terei que partir agora
Te deixarei com as nossas lembranças
Com as nossas fotos 
Já desbotadas pelo tempo 
Mas que revelam a 
 a nossa história
História  de uma vida
Que ficaram guardadas nas nossas memórias
Perdoa-me minha senhora
Me vou acalento
Sofro por te deixar
Lutei todos os minutos
Para ficar
Perdoa-me minha senhora
Terei que partir antes
Terei que partir agora
 Mas escolhi um lugar
Perto de ti
Para ficar
Será somente meu corpo
Que repousará
Minha alma não sei aonde estará 
Mas esperarei tuas visitas
No meu repouso
Talvez com as rosas 
As mesmas rosas 
Que eu te levei para enfeitar as nossas vidas 
Por anos
E agora tu me trarás para enfeitar o meu sono 
Meu repouso eterno 
                               Creio eu mas pouco eu sei desta viagem                                
Perdoa-me minha senhora
Estava cansado demais 
Para lhe dizer adeus
Preferia não lhe dizer adeus
Mas por favor não sofra por mim
Na minha despedida
Eu partirei triste
Não chores 
Não suportarei teu sofrimento
Nem o seu isolamento
Porque eu não estarei por perto
Para te abraçar 
E nem tão pouco enxugar tuas lágrimas
Como sempre fiz 
E dar conforto nos meus abraços
Minha senhora
Com certeza não queria partir
Não queria ir antes de ti
Não posso te pedir 
Para irmos juntos
Porque seria eu um egoísta
Mas não querias te abandonar
Perdoa-me 
Minha senhora
Não te desdenhei
Vou para além
Não sei
Devo estar em algum lugar
Mas não sei aonde
Mas crê que não te esquecerei
Te esperarei para sempre
Minha senhora

  autora: Isabel van Gurp










































Pensamentos

Quando as lagrimas não escorrem Em vão do pensamento O sentindo de chorar Esta no triste olhar Nobre ser Esta na roupa que ves...