quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Bailarina

N'alma flutua
Uma menina
Que reflete
No espelho
Uma mulher
Na imagem
Dança
Uma bailarina
Que move
Os pés
Em círculos
E deixa
O corpo voar
Sem sair do chão
Faz gestos
Suaves
Dar piruetas
Roda em círculos
Em cada passo
Volta para si
Com um simples
Sorriso
Levanta para os aplausos
Do sucesso
Do sonho
De uma menina
Que ainda não saiu
Do seu mundo
E tão pouco do seu quarto

Isabel van Gurp



 

Pedras no caminho



Dei passos incertos
Nos caminhos
Que eu escolhi
Não tive medo
De abraçar a minha coragem
Seguir em frente
Muitas vezes com temporal
Na jorrada de chuva
Na lama me afundei 
Água levaram minhas vitorias
Que eu construir
Com as minhas caminhadas
Mas com o tempo
Descobrir que eu não precisava
Marcar a volta com pedras
E nem olhar para trás 
Mas seguir em frente
Em direção ao sol
E sem culpas ser feliz simplesmente

Isabel  van Gurp

Lençois

Me entrego entre seus lençóis
Me sinto mulher
No aconchego dos seus braços
Me sinto romântica com suas palavras
Viajo de prazer pelos seus toques
Me rendo aos sonhos
E deixo a minha alma
lavar de alegria sem pedir água
Para matar a sede
Entro no labirinto sem medo
de me perder
Sabendo que não há saída
E nem volta
Sem dor 
Sem lagrimas 
Caminhando numa trilha
Sem marcar o espaço
Do tempo e nem tão pouco
Das horas
Mas sabendo que a paixão
Vai me tornar serva e amante
Me queimar de febre
Quando você for embora

Isabel van Gurp


Redentor

Se sol brilha
Cristo Redentor resplandecer
Com raios que passam pelo corpo celeste
E o Rio que navega engradece

Nas nuvens entre o céu e terra
Cristo na minha cidade ondula nelas
Surfar como um menino do Rio
Nas ondas do mar e na capela

Em noites escuras
Cristo brilha com as luzes
Levando a cada  beco a divindade
Para irradiar uma estrela
Os pontos negros da minha cidade

Não posso esquecer
Nas noites com luar segue uma miragem
O clarão da luminosidade
Paira na imagem

Dando a vida a tradição
Estatua que perpétua o seu corpo
Esculpido pelas mãos de um artista
Protagonizando alma e a perfeição

Que cada um
De nós olhamos de algum lugar
Sentimos tocados pelos seus braços abertos
E protegidos pelo sentimento do amor
Essa imagem que s'espalhou pelo mundo
Em um só esplendor








Isabel van Gurp

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Pensamentos

Quando as lagrimas não escorrem
Em vão do pensamento
O sentindo de chorar
Esta no triste olhar

Nobre ser
Esta na roupa que veste alma
Que ilumina a ignorância
Do saber


Nobreza do ser humano
Estar no fraque dos atos
Em uma gota do sorriso
Que transborda o oceano



Se a morte te reencontro
E para reviver a vida
Troco minha preces
Pelas lamurias
De quem nunca aprendeu a rezar



Fraque


Preces



Bailarina

N'alma flutua Uma menina Que reflete No espelho Uma mulher Na imagem Dança Uma bailarina Que move Os pés Em círculos E deixa ...