quinta-feira, 14 de julho de 2011

Uma Obra Prima Chamado Rio


Me sinto dona do meu caminho
Da minha vontade, 
Me sinto segura, 
Me sinto gente
Ando nesta calçada quente
Me reconheço nessa gente
Enfio meu pé nesta areia branca
Eu sinto que este é meu espaço
Que esta terra
É minha
Que este mar me pertence
Me reconheço no espelho do azul do céu
No infinito d'águas 
No brilho da luz
Que bate no reflexo das ondas
E sinto meu coração encher de alegria
Uma alegria quase sem sentido, 
Pura e do nada
Ou pelo simples fato de estar aqui
Nesta terra que é minha
Que eu conheço cada vão, 
Cada pedaço do chão, 
Cada pedra,
Em cada  morro com suas cores brancas pintadas 
pelo sal 
que desenha a pedra como se fosse uma obra prima do Picasso
E nas suas ilhas pequenas e despovoadas 
Espalhadas por essa imensidão azul
Ai como eu amo este mar 
Como amo esta terra
Um amor tão puro e inexplicável
Que eu olho ao redor
Vejo no fundo
Lá no fundo desta imensidão de areia brancaMeus amigos
Meus dois irmãos
Que estão sempre ali 
Me esperando 
Porque eu sou filha desta pedra,
Deste chão
Desta terra 
Deste lugar
Deste sal 
Deste sol
Desta gente
Deste mar
Desta cidade 
Chamada Rio de Janeiro


autora: Isabel van Gurp










































terça-feira, 5 de julho de 2011

CIRCO, O MUNDO GIRA


No pequeno mundo
Aonde tudo  gira
Nada para
Nada fica
Tudo roda e embola
E cola

Encanta a  magia

Aparece visões
Aonde  homens loucos
Cospem fogo
Param no ar
Mulheres e homens pequenos
São anões e kabouter

Mas num passo de mágica

Se tornam imensos
Com suas pernas de  pau
Gente fica elástica e estática
Eles voam no trapézio
No ar se encontram
Se entregam e mergulham
E  o adorável publico

Fica sem  respiração

Será magia?????
Em cordas bambas caramba
Andam de um lado e outro
Jogando bolas  no ar
Pinhões, facas  e bambolês
Tudo ao mesmo tempo
E passam pelos braços

Pelo corpo

Pelo sonho
E Olé
Exclamam o adorável público
Que sem respiração
Batem palmas e cantam
No pequeno mundo
Aonde tudo  gira
Nada para 
Nada fica
Tudo roda e embola
E cola
Será isso magia???
Serão todos mágicos?
Eles cortam as pessoas pela  metade
Fazem aparecer coelhos
Na cartola 
Será isso magia???
Os leões ferozes
Deixam de ser réis da selva
Para ser dominados
Com a força do olhar

Do seu mestre 

Se tornam gatos da relva
Elefantes e cavalos fazem
Partem do show
Todos ficam encantados
Porque o espetáculo sempre vai continuar
No pequeno mundo

Aonde tudo  gira
Nada para 
Nada fica
Tudo roda e embola
E cola 
Vira um circo
Um Mundo Mágico!!!!



autora: Isabel van Gurp







Me chamem de Maria

Maria, meu nome é Maria Entre as estrelas Vivo  o espetáculo da vida e a morte O exemplo da bela De ser mais uma entre todas...