sexta-feira, 1 de março de 2013

Pedra do meu caminho



Pedra do meu caminho


Eu já estou morrendo de saudades
O que esta abaixo desse céu azul
Aonde as nuvens brancas permitem sonhar
As lembranças que voam, voltam e correm
No tempo sagrado 
 A Alegria  que volta em cada passo
No espaço sem horas
Emboras
Que nuncas deixaste de existir
Ando pelas pedras que formaram essas escadas
Que serviram de alicerço para cada tijolo da minha casa
Vejo as pedras que não envelheceram
Sinto sua força vinda da terra
Do concreto que sustento esse ar
Dentro de mim
A vibra que me fez muitas vezes levantar
Como cada viga de ferro e pedra
As mesmas pedras aonde foi levantada esse lar
Rodeada de arvores
Do verde aonde tiro meu ar
Do oxigênio que me faz viver
Ainda é de lá
Dos galhos que eu  arrancava meu pão
Que eu comia pelas manhãs
Saboreando  o doce suco
Como café e o limão
Sinto ainda energia
Da felicidade de uma criança 
Que corria entre as arvores
E subia no teto desta casa
E brincava de ser adulta
Com sapato velho da mãe
Com os matos
Fazia comida de mentirinha 
E chamava as comadres 
Para beber chá somente com água
E assim passavam os dias com as brincadeiras 
De casinhas de meninas travessas
Que lindas deixavam o lenço na cabeça 
Para ser cabelo de faz de conta
E a ultima era mulher do padre
Eu já estou morrendo de saudades
O que esta abaixo desse céu azul
Aonde as nuvens brancas permitem sonhar
Das pedras aonde foi levantada essa casa
Do verde aonde tiro meu ar
Do sol que impregnou meu corpo
Mas que eu pude trazer dentro de mim
Para esquentar a minha alma
Nos dias que essa saudade vai ser mais forte
Do que a razão
Esta casa atrás do muro
Vai ser sempre meu lar




  autora: Isabel van Gurp


Imaginem

São nuvens que formam com as  lagrimas No céu -Dizem que é morada dos anjos E o que dizem... Que os anjos bons Voam pra la Imag...