terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Entre o céu e a terra

Entre o céu e a Terra

Nada dos dias 
Diferentes do que eram 
Do que ficam 
Do que vem 

Do que foram
Os  espíritos me levam para montanha
Me fazem sonhar
Em cada sonho vive uma alma
Que voa pelo  azul do céu
Forradas pelo um tapete branco
Dos alpes 
A busca das estrelas
Em cada cume vivem almas
Se encontra a paz
Enleva  
Viveram entre o céu e a terra
Que caminharam  pela neve 
Branca e cintilante 
Pelas pedras cinzas lisas
Maduras e escaldantes 
Os espíritos passam sobre mim 
Como gaviões que levam  corpos

Para conquistar  heroínas e heróis
Saltam em lendas
Para mais alto nível da terra 
A busca de Ngama 
Deus africano 
Ali esta o meu reencontro comigo mesma
Da onde eu vim
Quem sou eu 
Encontro deuses e me pergunto 
Porquê partir e voei para longe 
Desencontrei a Awa
Quando eu pensei que ela morava em mim

Mas ela ficou nos apogeus distantes 
Minha alma buscou o espirito da terra
O sol  
Voa sobre asa do vento
Levada por alguma pena
Mergulhava na calma cama branca das aves
Para ver o sol nascente do mais alto nível do planeta 
Eu vôo sempre
Todas as noites 
Para buscar em mim
Uma saudade que nunca parte
Nada dos dias 
Diferentes do que eram 
Do que ficam 
Do que vem 
Do que foram
Eu sempre vôo nas noites 
Pelas montanhas forradas pelo um tapete branco
Para buscar a minha alma 

Que sempre quer voltar para casa



  autora: Isabel van Gurp












Imaginem

São nuvens que formam as  lagrimas No céu -Dizem que é morada dos anjos E o que dizem... Que os anjos bons Voam pra la Imaginem...