domingo, 11 de setembro de 2011

Eldorado






Tento encontrar em seu destino 
A riqueza que me faz viver
Neste tesouro que é sua vida
E simplesmente todo meu mundo
As lágrimas que rolam na sua face
Enche as  minhas veias de ouro que bombardeiam 
como purpurina até meu coração 
Penetro nos seus olhos verdes 
Que são duas pedras  lapidadas de  esmeraldas  
Que me enlouquece
E atiça toda minha ambição por você
Na sua  beleza singular 
Torna meu sentimento 
Tão sublime e tão nobre
Mas sem nenhuma  vergonha de ser tão possessivo
Egoísta te quero somente para mim
Sigo a viagem no seu corpo em brasa
Derretendo as minhas barras de ouro
Que eu guardei para te entregar
Busco em você o Eldorado perdido 
Para construir a minha vida
Com seus minerais preciosos 
que encontro no seu corpo
Corto suas asas
Fecho o labirinto para não te perder
Te visto de prata
Que no breu 
Você seja resplendente 
Ainda ser mais deslumbrante e puro 
Do que um diamante
Não queira fugir da  minha paixão 
Apesar de louca
E um cristal 
De tão puro 
E inofensivo
O meu Eldorado
E sua felicidade

autora: Isabel van Gurp













Filha minha

Filha minha Que brinca de imagem Da cor do reflexo do meu ventre Que ilumina minha alma Enriquece meu espirito Aprendo todos os dia...