segunda-feira, 1 de setembro de 2014

O sol que brilha na minha terra


O sol que brilha na minha terra 
Nasce atrás do horizonte 
Nas águas claras
Que aos poucos s'eleva
Para o apogeu
Vai desenhando os morros
Colorindo as favelas com as suas cores
vermelha, amarela e um toque alaranjado
O sol que brilha na minha terra
Vem alastrando o céu azul 
Subindo ao altar como um Deus
E cercando Cristo
Pintando os rios das serras
Nas suas águas raras e geladas
 O sol que brilha na minha terra
Grifa o azul do mar 
Elevando para o lugar mais alto 
Como um Zeus
Nos céus
No auge 
Aos poucos conquistando 
Os morros com suas cores douradas
Espiritualizando as matas verdes
O ecossistema, o ciclo de vida
Alegrando os pássaros
Que cantam com sua chegada
E voam felizes
   Dando a vida atmosfera tão colorida 
Aquecendo a terra 
Invadindo com seus raios 
Pelas frestas das janelas vai passando
Aquecendo os casebres 
Levando luzes e calor
Alastrando-se pelas ruas das comunidades
Que ainda dorme 
Com os anjos
O sol que brilha na minha terra
Não nasce quadrado 
 Se põe bem antes da meia noite
Ele esta sempre enamorado com o nosso planeta
Tem poder da vida
Da fotossíntese
Da a luz e energia
Da alegria 
O sol que brilha na minha terra
Não se assombra com as nuvens negras
Ignora as estações
No frio e introduz um sonho 
Reinventa a humanidade
Com fenômenos
Da felicidade  
Com as gotas da chuva brilha mais no horizonte
Figura um arco iris
Para ser triunfal 
Para fazer as notas musicais
No céu da minha terra
Tem um sol que brilha nas nuvens 
Nos mares na minha cidade
Tem gosto de vida 
E nasce dourado
Como ouro 

Isabel van Gurp























Filha minha

Filha minha Que brinca de imagem Da cor do reflexo do meu ventre Que ilumina minha alma Enriquece meu espirito Aprendo todos os dia...