terça-feira, 13 de outubro de 2015

Outono

Se vão em grãos
Semeia em teia
Sementes que voam
As vidas em tons

Que caem em levadas
Crescem no útero da terra mãe
Que cultiva na carne
Os seios do embrião 

O poder do ciclo endosperma
Que vaza nas mãos dos deuses
Que giram a terra
Cambaleiam em alvoradas

Na arte de procriar a vida
Se vão em grãos
Jorrados pelos vento
Nua em tegumento

Transformam em cores
Para perder a vida
Encontrar em cogumelos
Fingir em fungos  

Que brota por si
Série  de uma arte
Coexistência  de ser
Que pinta na tela sem selos

A viagem da vida
Recomeço de um fim
Ciclo de transformação
Sem elos

Isabel van Gurp






























Filha minha

Filha minha Que brinca de imagem Da cor do reflexo do meu ventre Que ilumina minha alma Enriquece meu espirito Aprendo todos os dia...