domingo, 24 de novembro de 2013

Sonhos

Sonhos 


O céu  nos aproxima
Encontramos  as nossas almas perdidas
Que voam pelos ares
Nas  caladas das noites
Entre os sonhos e pecados
Escutamos músicas e  sinos
Tocados pelos anjos
Nossas almas dançam e se encontram
Quando elas  voam
Tornam se  pássaros
Se encantam
Buscam o perfume das nuvens
Desenho que pinta a terra em azul
Misturando-se ao vento
Acalento em afago
Passando pelas chuvas
Que sopra a brisa para o mar
As nossas almas voam
Se entrega nos murmúrios das estrelas
Que se escondem com medo das gotas
Me lembro do teu olhar
Que passa pela minha vida sempre
Como se fosse a primeira vez
Misturando-se ao vento
Acalento em afago
Como as estrelas eu me escondi da chuva
Com medo de me molhar
Fugi  das nuvens
Entreguei aos sonhos
Olhava  para o céu
Para dormir
Vôo  para te encontrar
O teu olhar sempre
Misturo ao vento
Acalento em afago
Me tornei uma estrela cadente
Que em noites escuras e sem nuvens caia
Para me tornar uma sereia
Que  nada ao cair no mar
Durmo olhando para céu
Para poder sonhar com teu olhar
Misturando-se ao vento
Acalento em afago
Apago
                                                                 autora: Isabel van Gurp
















Movimentos das nuvens em questão de segundos 





























Imaginem

São nuvens que formam com as  lagrimas No céu -Dizem que é morada dos anjos E o que dizem... Que os anjos bons Voam pra la Imag...