quinta-feira, 19 de maio de 2011

Eu sempre te amarei




Eu sempre te amarei
Faz parte do meu sangue
Do meu corpo
Do meu ventre 
Das minhas entranhas
Da minha alma
O tempo poderá transformar 
No menino
Num homem
Na menina 
Numa mulher
Um jovem
Num senhor
Uma mulher 
Numa senhora
O tempo transforma
As  vidas 
As pegadas
Os lugares
Os sentimentos 
As alegrias
As tristezas 
Mas nada vai mudar
O que faz parte de mim
O corpo que não é parte do meu sangue
Eu me embriaguei no seu leite materno e 
O seu leite penetrou nas minhas veias e fiz dele a minha sobrevivência
E transformei em amor materno
A mulher que eu não sair das suas entranhas
 E um amor tão profundo 
Tão forte 
Como se fosse almas gêmeas
O que eu encontrei no caminho
Trouxe para meu corpo
E transformei na minha vida
O que nasceu de mim 
Será sempre parte da minha alma
O que eu olhei nos olhos 
E vi seu sorriso pela primeira vez 
Era um corpo pequeno, franzino e delicado
Transformei no meu irmão
Porque eu  sempre te amarei
Mais que a força do sangue ou da vida 
Da distância 
Mas dos corações sempre que  estarão juntos 
Porque eu sempre amarei

autora: Isabel van Gurp







Filha minha

Filha minha Que brinca de imagem Da cor do reflexo do meu ventre Que ilumina minha alma Enriquece meu espirito Aprendo todos os dia...