quinta-feira, 19 de maio de 2011

Para Sempre - 14/07/1983

Para Sempre






Cada momento que passa 
Eu vou vivendo
Cada instante que passa eu vou morrendo
O momento que passa
E uma hora que não fica
E um dia que não volta
E uma noite que se vai embora
E assim, 
Cada pássaro que canta livre 
Que voa no céu 
Sem risco
Sem pensamento
Sem medo
Que voa com o vento
A mesma ventania que desalinha meu cabelo
Que esfria meu coração
Que me leva de um canto ao outro
Com meu pensamento
Nos momentos que olho para terra
 piso no chão
Porque em terras que pisarei
Eu morrerei
Se um dia eu piso
Um dia deitarei
Aonde a folha cai
Que o vento derrubou
O mesmo vento do pássaro que voa
O mesmo vento que esfria meu coração
A mesma folha  leve e lentamente 
vai caindo
Vai deitando,
Vai amarelando, 
E de vez 
Vai morrendo no chão
Assim como as folhas mortas
Será meu corpo, minha alma
Que um dia vai cair
Derrubado pelo vento 
Vai caindo, amarelando  até desaparecer pela terra
E cada momento que se passa 
Eu vou vivendo
Cada instante que se passa eu vou morrendo
No chão que eu piso
Na terra que eu caminho 
Nesta terras que pisarei 
Nesta terras que morrerei


autora: Isabel van Gurp













Imaginem

São nuvens que formam as  lagrimas No céu -Dizem que é morada dos anjos E o que dizem... Que os anjos bons Voam pra la Imaginem...